Portuguese English Spanish
Produtos

Painéis fotovoltaicos Eenergy®

About project

Rate it
0.0/5 (0 votes)
Painéis fotovoltaicos Eenergy®

"O sol, quando nasce, é para todos."

O QUE É O AUTOCONSUMO
O autoconsumo é a utilização de painéis solares fotovoltaicos para produção de energia para consumo próprio com ou sem recurso a baterias.

Ao contrário dos modelos anteriores, onde a energia produzida através dos painéis fotovoltaicos nas unidades de micro e mini geração era injectada e vendida à rede, o autoconsumo incentiva os consumidores a produzirem a sua própria energia de forma limpa ao invés de adquirir essa energia à rede.

ENQUADRAMENTO LEGAL
O autoconsumo, actividade regulada pelo Decreto-Lei nº 153/2014 de 20 de Outubro e pelas portarias nº 14/2015 e 15/2015 de 23 de janeiro, é um novo modelo de produção descentralizada de energia a partir de energias renováveis, em particular a partir do sol, em que a energia eléctrica produzida é consumida predominantemente pelo produtor, embora com a possibilidade de injetar o remanescente na Rede Eléctrica.

Este modelo consiste na instalação de painéis fotovoltaicos que captam a radiação solar e que, com a ajuda de inversores de corrente, produzem energia eléctrica que é consumida na própria instalação. Toda a energia produzida e consumida representa poupança, uma vez que deixa de ser comprada ao comercializador de energia com o qual foi celebrado um contrato de fornecimento de energia eléctrica.

Com o autoconsumo consegue-se uma maior eficiência quando a UPAC (Unidade de Produção para Autoconsumo) é dimensionada de acordo com as necessidades da instalação de consumo, mas se houver excedentes, a energia excedente que não ultrapasse o consumo total anual da instalação de consumo é paga pela EDP Serviço Universal a preços de mercado, mediante contrato assinado com esta entidade. O excedente de produção para além do valor total anual de consumo não é remunerado. Como tal, é importante avaliar bem se vale a pena injectar o excedente na RESP, dado que esta opção implica o pagamento de taxas de registo da instalação, bem como, a instalação de sistemas de telecontagem da energia produzida e injetada e também a celebração de um contrato de seguro de responsabilidade civil.

O autoconsumo irá potenciar o desvio de consumos nocturnos para o período diurno, durante o qual existe maior produção de energia, pelo que, fará todo o sentido, por exemplo e sempre que possível, colocar as máquinas de lavar roupa e louça a funcionar durante o dia, bem como, quaisquer outros equipamentos eléctricos para os quais essa deslocação seja possível.
Permite também a acumulação de energia com recurso a baterias, as quais são carregadas quando existe mais produção, sendo a energia usada entretanto em períodos de ausência de produção.

BENEFÍCIOS
O autoconsumo faz parte de uma mudança do paradigma energético que está neste momento a ocorrer e que se baseia no princípio do produtor/consumidor os quais, neste caso, passam a ser a mesma entidade.

Para além disso, a energia solar tem as seguintes vantagens:
- Autonomia
- Poupança
- Sustentabilidade
- Simplicidade

A QUEM SE DESTINA O AUTOCONSUMO?
O autoconsumo está acessível a particulares e empresas com consumos de energia significativos durante o dia.

MODELO DE AUTOCONSUMO

CONSUMO DE ENERGIA PRODUZIDA



A massificação e redução significativa dos custos dos painéis solares e seus acessórios, estimulados pelos programas de subsidiação à instalação de painéis solares fotovoltaicos, aliados ao constante aumento dos preços da energia permitiu-nos atingir um ponto de sustentabilidade desta tecnologia sem necessidade de subsidiação.

ENERGIA PRODUZIDA VS ENERGIA ADQUIRIDA À REDE

Comparação de custos da energia



Tarifa ERSE para o ano de 2015 com um aumento de 3% anual.
Preço médio do kW tendo em conta a produção a 15 Anos no projecto fotovoltaico.

- O PREÇO DA ENERGIA FICA SIGNIFICATIVAMENTE MAIS BARATO

Observando o gráfico à acima verificamos que o preço por kWh produzido para um investimento em equipamento solar a 15 anos, período bastante inferior à expectativa de vida do equipamento fotovoltaico, estimado em 25 anos, é bastante inferior ao preço que hoje pagamos pelo kWh comprando à rede. Na realidade é cerca de metade.
Tendo em conta o aumento médio da tarifa energética nos últimos 10 Anos, cerca de 3%, e sendo expectável que este se mantenha futuramente, ao 15º ano estaremos a produzir energia a um preço 3 vezes inferior ao preço de compra à rede.

- É UM BOM INVESTIMENTO FINANCEIRO

As rentabilidades são muito superiores às de um banco podendo chegar aos 18% ao ano dependendo da tarifa contratada e do tamanho do sistema fotovoltaico. No autoconsumo pode escolher o valor que quer investir até um máximo em que a produção atinja o seu valor de consumo anual. O retorno do investimento situa-se entre os 5 - 7 anos, dependendo da tarifa contratada.

DEIXA DE SER NECESSÁRIO CONSUMIR ENERGIA DO FORNECEDOR?
Não. Tal como exemplificado na imagem à esquerda num sistema produção fotovoltaica bem dimensionado para o seu perfil de consumo apenas irá produzir parte da energia total necessária ao consumo, a outra parte continuará a ser adquirida à rede.

Este tipo de sistemas terão de estar sempre ligados à rede para fazer face a alturas onde não é possível produzir energia suficiente para as necessidades.

O QUE ACONTECE SE PRODUZIR MAIS ENERGIA DO QUE CONSUMO?
O excedente de produção pode ainda ser injectado na rede mas a tarifas muito reduzidas, ao contrário do que acontecia com os programas micro e miniprodução. Na prática o verdadeiro interesse do sistema de autoconsumo está em reduzir ao máximo a compra de energia à rede.

DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE AUTOCONSUMO
Para sistemas de autoconsumo sem recurso a baterias o dimensionamento do sistema deverá obedecer ao perfil específico de cada cliente de forma a garantir que a quase totalidade da energia produzida é absorvida pelo consumo.
Assim, para dimensionar o sistema teremos de ter em consideração os seguintes elementos:

RESTRIÇÕES

Legais:
- O tamanho do sistema fotovoltaico tem de ser inferior à potência contratada
- O total de produção fotovoltaica não pode ser superior ao consumo anual total de energia

Financeiras:
- O valor pago pelo kWh injectado na rede é inferior a 50% do valor do kWh que deixamos de adquirir.

Com base nas restrições existentes, o dimensionamento ideal para um sistema de autoconsumo deve simultaneamente obedecer às restrições legais bem como garantir que toda a produção é canalizada para o consumo, tal como exemplificado no gráfico abaixo.

SISTEMA DE AUTOCONSUMO INSTANTÂNEO

A principal limitação no dimensionamento do sistema fotovoltaico é o consumo energético do cliente, enquanto a rentabilidade é determinada pela tarifa contratada com o fornecedor de energia.

Por este motivo é fundamental o cliente fornecer um conjunto de 6 facturas de electricidade para podermos dimensionar o sistema para o seu caso concreto.

AUTOCONSUMO PARA RESIDÊNCIAS COM POTÊNCIA CONTRATADA INFERIOR A 10,35KW
O programa UPAC (Unidade de Produção de Auto Consumo) tem como finalidade a produção de energia através de painéis fotovoltaicos para consumo imediato, ou seja, produzir enquanto se consome, dado que não há recurso a baterias de armazenamento e a venda de energia à rede não é rentável.
No sector residencial, geralmente, a grande maioria do consumo de energia eléctrica ocorre fundamentalmente durante a noite, altura em que não é possível a produção de energia solar, o que limita significativamente o dimensionamento do sistema fotovoltaico, como podemos verificar no gráfico abaixo:

Para a solução que apresentamos considerámos que habitualmente o seguintes equipamentos permanecem ligados durante o período diurno:

- Frigorífico;
- Arcas congeladoras;
- Diversos electrodomésticos em standby;
- Diversos sistemas electrónicos como: domótica, sistemas de segurança, entre outros.

Consumo total estimado: inferior a 1KW.

INVESTIMENTO E POUPANÇA

Um sistema fotovoltaico adequado a este perfil de consumo são naturalmente simples, práticos de instalar e relativamente económicos.
Embora a parcela total de produção seja reduzida face ao total de consumo, os sistemas são proporcionalmente económicos e as taxas de rentabilidade dos montantes investidos relativamente altas.

SOLUÇÃO DE AUTOCONSUMO PARA RESIDÊNCIAS COM POTÊNCIA CONTRATADA SUPERIOR A 10,35KW OU COM CONSUMOS DURANTE O PERÍODO DIURNO
Para obtermos a máxima rentabilidade de um sistema de autoconsumo o dimensionamento do sistema deve possibilitar que a grande maioria da energia produzida seja consumida no momento, logo este processo só se verificará durante o período diurno, uma vez que durante a noite não existe produção.

COMO DIRECCIONAR O CONSUMO ENERGÉTICO PARA AS HORAS DE PRODUÇÃO
Para aumentar rentabilidade do seu sistema de autoconsumo, é possível direccionar grande parte dos consumos energéticos para os períodos de maior insolação.
Para isso existem equipamentos (sistemas de controlo de cargas) que permitem ligar um conjunto de electrodomésticos e equipamentos eléctricos sempre que exista excedente solar. Desta forma conseguimos reduzir significativamente o consumo de energia adquirida à rede e aumentar o consumo de energia proveniente do autoconsumo.
Os controlos de cargas são “simples tomadas” que se colocam directamente sobre as tomadas existentes e são comandadas remotamente por rádio, ou smartphone (dependendo da especificidade de cada equipamento), sem necessidade recorrer à instalação de cabos eléctricos.

Exemplo de equipamentos, responsáveis por elevados consumos energéticos, que podem ser accionados automaticamente quando existe excedente de energia solar:
1. Resistências eléctricas utilizadas para o aquecimento de águas sanitárias
2. Bombas de calor para aquecimento central ou aquecimento de piscinas
3. Máquinas de lavar roupa ou louça

COMO É FEITO O AJUSTAMENTO AUTOMÁTICO ENTRE O CONSUMO E A PRODUÇÃO?
Para ajustar automaticamente o nível de produção com o consumo energético, este tipo de sistemas monitoriza não só a produção instantânea do sistema solar como também o consumo energético da residência.

Exemplo, se a produção solar for de 5kW e o consumo apenas 1Kw, é accionado automaticamente o termoacumulador eléctrico (1,5Kw) e a máquina de lavar roupa (2Kw).
Como em termos legais, passamos também do primeiro escalão para o segundo, onde as potências fotovoltaicas instaladas são superiores a 1,5Kw. Este facto possibilita-nos também injectar os restantes 0,5Kw na rede.

O ESQUEMA ELÉCTRICO DE FUNCIONAMENTO



Os painéis fotovoltaicos (1) produzem energia que através do inversor (2) será compatibilizada com a energia da rede eléctrica. O quadro de protecção (3) garante a protecção de todos os equipamentos no interior da residência contra sobre intensidades que ocorram no sistema fotovoltaico e na rede eléctrica. A energia produzida é contada no contador de produção (4), que nos fornece informação sobre a produção instantânea ou histórico de produção.

A partir deste momento duas situações podem ocorrer:

a) Estamos a produzir mais do que estamos a consumir – antes de injectar energia produzida na rede, o controlador (8) ligará automaticamente as cargas existentes nos pontos (9) de forma a escolar internamente toda a energia solar.

b) Estamos a produzir menos do que estamos a consumir – a energia produzida será canalizada para o consumo na residência onde foi definida como prioritária, sendo que em caso de necessidade, a energia produzida será complementada com a energia da rede (ex: A produção é de 2Kw e o consumo de 3Kw, 1Kw será proveniente da rede).

É NECESSÁRIO EFECTUAR REGISTOS PARA A INSTALAÇÃO DE UPAC´S – (UNIDADE DE PRODUÇÃO DE AUTO CONSUMO)?
- Potências inferiores a 200 W, não necessitam de registo.
- Potências entre 200 W e 1,5 kW, apenas necessitam de mera comunicação prévia de exploração desde que a UPAC não seja ligada à rede
- Potências entre os 1,5 kW e 1 MW, necessário registo e certificado de exploração;
- Potências acima de 1 MW, necessária licença de produção e de exploração.



COMO É FEITO O REGISTO NUMA UNIDADE DE PRODUÇÃO DE AUTO CONSUMO COM POTÊNCIA SUPERIOR A 1,5KW?
A Eenergy® auxilia-o no processo de registo da UPAC, este processo inicia-se com o pedido de registo, feito no site da SERUP, e passa por 8 fases como podemos verificar no esquema abaixo.

SOLUÇÕES DE AUTOCONSUMO
A Eenergy® propõe-lhe várias soluções que colmatam as necessidades energéticas de habitações, hotéis, estabelecimentos comerciais ou indústrias:

AUTOCONSUMO SEM ACUMULAÇÃO (instantâneo)
Sistema composto por um ou vários painéis fotovoltaicos e microinversor(es) que injectam directamente a energia no circuito eléctrico do espaço, permitindo uma redução total ou parcial do consumo diurno, sem recurso a baterias de carga. O dimensionamento do campo fotovoltaico depende do consumo diurno.

AUTOCONSUMO COM ACUMULAÇÃO
Consiste no armazenamento em baterias da energia fotovoltaica que sobra da injecção directa no circuito interno da habitação ou estabelecimento. A carga armazenada será utilizada nos aparelhos domésticos no período do final da tarde e noite. Os inversores DAPE permitem este armazenamento. A poupança média de energia é de 55%.

INVERSOR HÍBRIDO IS DAPE
Sistema composto por um conjunto fotovoltaico à medida das suas necessidades energéticas e um inversor Híbrido DAPE IS. Este sistema permite a injecção de energia extra produzida pelos painéis na rede elétrica. O inversor híbrido DAPE IS também permite o carregamento de baterias para armazenar a energia fotovoltaica produzida, para utilização posterior e a injecção na rede eléctrica. Esta solução permite aproveitar os melhores tarifários de energia.

Project info

Marca: Eenergy®
Tipologia: Painéis fotovoltaicos. Autoconsumo.
País de fabrico: Portugal.
Garantia: 2 anos.
Vida útil: 30 anos.
Suporte técnico:

Em caso de avaria do seu painel fotovoltaico, deve contactar de imediato o nosso departamento técnico através do nosso nº único: 707 200 220.